Desejo da carne.

Desejo da carne.

Querida e amada mulher
Senti vontade de toca-la,
Olhei para os seus belos olhos.

Aproximei os meus lábios Selando-os
Suavemente, deslizei as minhas mãos
Acompanhando o contorno de seu corpo.

Devagar desci, e, suavemente
Tocando-a com os meus lábios.
E, chegando até a sua barriga…

Já não podia mais conter.
O desejo da carne…
E agora sucumbindo ao amor.

Poeta
by@xandy
17/03/19

Deixe uma resposta