Não posso arranca-lo de mim

Não posso arranca-lo de mim.

Téo…
A quando tempo estou precisando te falar
De uma amor acumulado em meu peito este
Amor é tão grande que não tem como medir!

Alexandre…
Nas horas que passam, sentimento esse…
Que queima em meu peito.
Nesse desejo de lhe querer.

Téo…
Não tenho palavras para expressar,
Não posso fugir, por que você
Já habita dentro de mim.

Alexandre…
Meu coração teima em lhe desejar.
Enciste em querer declamar,
Aos quatro cantos que quer te amar.

Direitos autorais reservados para:

Maria Aparecida Vanbianchi
Poetisa – Téo

Alexandre Pagniozzi Gonçalves
Poeta – by@xandy
Ed. Verão

Deixe uma resposta